INTRODUÇÃO

As Engenharias estão entre as profissões com maior taxa de ocupação no Brasil, e que oferecem remuneração entre as cinco mais altas do país, de acordo com um levantamento do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). Frequentemente as Engenharias ocupam um lugar nos rankings das profissões mais promissoras, mesmo em cenários de crise.

As Engenharias são uma área do conhecimento que incluem mais de 20 habilitações no Brasil, em diferentes segmentos como já falamos aqui. Com a grande oferta e a diversidade de oportunidades de atuação, o mercado de trabalho na área está em constante crescimento, inclusive em um contexto regional.

Dentre as diferentes áreas das Engenharias, hoje falaremos especificamente sobre as atuações da Engenharia Mecânica na Indústria Automotiva.

O CENÁRIO ATUAL DA ENGENHARIA MECÂNICA

Uma área que envolve projeto, construção, análise, operação e manutenção de sistemas mecânicos, como motores, veículos, máquinas e sistemas termodinâmicos para todo tipo de indústria, a Engenharia Mecânica proporciona uma formação generalista para que o profissional atue em diferentes áreas da indústria.

Como já falamos por aqui, de acordo com pesquisas realizadas pelo Ipea, será necessário quase dobrar o número atual de engenheiros até o ano 2020 para suprir a demanda do País.

O profissional formado em Engenharia Mecânica é capacitado para trabalhar com projetos de equipamentos dos mais variados setores, como motores de geladeira e de carros, sistemas biomédicos, turbinas de aviões, mecanismos de armazenamento e de distribuição de energia elétrica.

Quanto às atuações, o Engenheiro Mecânico possui um amplo campo de oportunidades, em setores como: indústrias de base (mecânicas, petroquímicas, siderúrgicas); indústrias de produtos ao consumidor (setor de refrigeração e automobilístico); hospitais e clínicas biomédicas; empresas de instalações e prestação de serviços; centros de pesquisa; setor público (órgãos ligados à Ciência e Tecnologia); escritórios de consultoria para projetos industriais, dentre outros.               

O CENÁRIO ATUAL DA INDÚSTRIA AUTOMOTIVA

Mais de 20% do Produto Interno Bruto (PIB) industrial brasileiro é representado pelo setor automotivo. Segundo a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (ANFAVEA), em junho de 2018 o setor empregava mais de 112 mil pessoas em todo o Brasil.

Para quem deseja seguir carreira nesse setor comprovadamente em crescimento, a atuação através da Engenharia Mecânica é ideal. O profissional está presente em todas as etapas da fabricação de veículos, ônibus e caminhões, dessa forma a atuação do engenheiro tem relação próxima com a indústria automotiva, incluindo disciplinas estudadas durante os períodos de graduação e especialização.

PROFISSÃO: ENGENHEIRO AUTOMOTIVO

No Brasil existem poucos cursos de graduação ou especialização nomeados como Engenharia Automotiva, no caso, a Engenharia Mecânica prevalece no conhecimento popular, principalmente por possuírem, ambos os cursos, uma íntima relação, por isso é tão comum encontrar engenheiros mecânicos atuando na indústria automotiva.

A princípio o Engenheiro Automotivo tem uma formação mais especializada para essa área, no entanto, não existem necessariamente restrições para a inserção profissional dos engenheiros mecânicos na indústria automotiva, pelo fato de os conhecimentos e competências desenvolvidas durante a graduação permitirem a atuação deste profissional na área.

O Engenheiro Mecânico pode atuar em todas as etapas da cadeia produtiva, desenvolvendo componentes como sistemas de refrigeração ou aquecimento, além de trabalhar com mecanismos de frenagem, câmbio, e outros recursos. Sendo assim, o Engenheiro Mecânico tem, na indústria automotiva, a função de criar, planejar e gerenciar a produção de máquinas e equipamentos específicos do campo automotivo.

A atuação do Engenheiro Mecânico vai passar desde a construção de um projeto, em que calcula itens como quantidade de material e recursos técnicos a serem utilizados, passando pelo acompanhamento da execução até a verificação da qualidade final do produto ou do processo de trabalho.

O ENGENHEIRO MECÂNICO DENTRO DA INDÚSTRIA AUTOMOTIVA

O profissional que optar por atuar na indústria automotiva irá trabalhar com diversos setores. Desde projeto, desenvolvimento, fabricação até montagem de equipamentos e sistemas para automóveis, motocicletas, máquinas industriais e agrícolas, podendo trabalhar tanto na engenharia de produto como na engenharia de desenvolvimento.

Na engenharia de produto o profissional é responsável pela climatização de dentro do veículo, segurança que o automóvel deve proporcionar, consumo de combustível e quais serão e como são as emissões de gases poluentes. O Engenheiro Mecânico também vai trabalhar a dinâmica, desempenho e ergonomia do veículo, viabilidade e custos envolvidos para sua fabricação, facilidade de condução, durabilidade e corrosão do automóvel e quais os ruídos, vibração e dureza.

Na engenharia de desenvolvimento o Engenheiro Mecânico vai se dedicar a cuidar de cada um dos itens que a engenharia de produto levou em consideração, no entanto, de modo individual. Ele também atua no processo de compensação, para que exista certo equilíbrio no veículo finalizado, analisando se o gasto de combustível é grande, acompanhando o desempenho do motor, entre outros.

O MERCADO DE TRABALHO PARA O ENGENHEIRO AUTOMOTIVO

Além de trabalhar nas indústrias que fabricam veículos, o Engenheiro Mecânico pode prestar consultoria para o segmento do automóvel ou serviços técnicos de importadores e representantes de equipamentos para o setor. Além de poder atuar em entidades de inspeção e legislação de automóveis e centros de formação de condutores de veículos.

Fora das indústrias, o Engenheiro pode oferecer apoio técnico especializado em equipamentos de competição automobilística, transportes públicos e privados, centros de formação técnica de fabricantes de veículos automotores e exploração de frotas de veículos e de transportes públicos ou privados.

É possível encontrar também Engenheiros atuando em montadoras de veículos, indústrias de autopeças, concessionárias de veículos leves e pesados e empresas de serviços de manutenção de máquinas agrícolas, terraplenagem, mineração, entre outras.

A IMPORTÂNCIA DA ESPECIALIZAÇÃO

A grade curricular de Engenharia Mecânica e Engenharia Automotiva é muito semelhante, por isso a inserção do engenheiro mecânico em indústrias automotivas é possível. Porém a formação do engenheiro mecânico é mais generalizada do que a do engenheiro automotivo.

Por isso, a importância de o profissional formado em Engenharia Mecânica em buscar especializações em temas e disciplinas específicas da área automotiva preparando o engenheiro para situações específicas do mercado de trabalho, como: Álgebra Linear, Desenho Técnico Mecânico, Eletricidade Aplicada, Eletrônica e Instrumentação, Ergonomia e Segurança do Trabalho, Máquinas de Elevação e Transporte, Mecânica Aplicada, Processos de Fabricação, Sistemas de Montagem Automotiva, além de outras disciplinas.

INDÚSTRIAS ABERTAS E PROFISSIONAIS CAPACITADOS

Como vimos hoje, o cenário da indústria automotiva é essencial para o crescimento econômico e produtivo do país, e possui altas demandas por profissionais capacitados para atuarem com o planejamento e desenvolvimento de produtos automotivos.

Se você deseja ingressar nessa área é importante alinhar os conhecimentos da graduação em Engenharia Mecânica com as especializações voltadas ao mercado automotivo. Dessa forma, o profissional irá adquirir competências específicas do setor, ampliando seu conhecimento e suas oportunidades de atuação.

Esperamos que o conteúdo de hoje tenha esclarecido suas dúvidas, e sirva como inspiração para os futuros engenheiros mecânicos, ou demais interessados em atuar com a indústria automotiva.

Até a próxima!