SAIBA COMO PETS PODEM DOAR SANGUE E SALVAR CÃES E GATOS!

INTRODUÇÃO

É comum a gente ver pedidos de doação de sangue. As campanhas sempre falam sobre a importância de salvar vidas. Do ato de amor que é poder ajudar o outro. E ainda assim, muitos bancos de sangue seguem quase sempre com o estoque baixo. É nesse momento que mídia, centros de saúde e sociedade se mobilizam para chamar a atenção de quem já costuma doar, e também de quem ainda não participou de nenhuma ação dessa natureza.

Se os bancos de sangue humano quase não dão conta de manter os hospitais, já parou para pensar nos bancos dos pets? Pois é, animais também podem ser doadores. Mas calma: eles doam para outros animais!

Nossos bichinhos de estimação também podem ser doadores de sangue e salvar a vida de cães e gatos que sofreram um acidente ou foram diagnosticados com alguma doença, por exemplo. E assim como acontece com os humanos, o estoque é quase sempre baixo nos bancos de doação.

TIPOS DE SANGUE VARIADOS

Diferente dos humanos (que possuem 4 grupos), os animais têm muito mais agrupamentos entre as raças. No cachorro, por exemplo, são mais de 13 grupos sanguíneos (o Labrador é o que tem o tipo sanguíneo mais comum). Já os gatos têm três tipos de sangue e são os que mais se aproximam dos seres humanos.

Nas transfusões de sangue entre animais também acontece a verificação se o sangue é compatível. No cão não tem como realizar um teste de tipagem sanguínea, então, é feito um de compatibilidade. Já para os gatos, há kits para os tipos sanguíneos, além do teste de compatibilidade. Isso é necessário porque, se for incompatível, há grande risco de morte do animal.

Então vale lembrar: tanto o humano quanto o animal podem sofrer graves reações se receberem um sangue incompatível.

EXISTEM REGRAS PARA O SEU PET SER UM DOADOR?

Sim! Para que seu animalzinho possa doar sangue e ajudar outros pets, ele precisa cumprir alguns requisitos (assim como nós humanos). Além de exames de rotina, estar com as vacinas em dia e ser calmo, os animais também devem seguir as regrinhas que a BitCão, especializada em comportamento animal listou e que a gente disponibiliza aqui:

Cães:  

  • Peso mínimo de 20kg;
  • Idade entre 1 e 8 anos;
  • Não ter nenhuma doença pré-existente, transfusão prévia ou cirurgias nos 30 dias anteriores à doação;
  • Não fazer uso de medicação contínua;
  • Controle de pulgas e carrapatos;
  • Não estar no cio ou ter saído há um mês;
  • Intervalo entre as doações: 3 meses.

Gatos:

  • Peso mínimo de 4kg;
  • Idade entre 1 e 7 anos;
  • Vacinação e vermifugação atualizadas;
  • Controle de pulgas e carrapatos;
  • Não estar no cio ou ter saído há um mês;
  • Não apresentar doença ou transfusão prévia.

POR QUE DOAR SANGUE?

É simples: doar sangue é um ato de amor, e existem seres mais apaixonados que os pets? Nos animais a doação de sangue acontece para reverter casos emergenciais para a correção de uma disfunção sanguínea severa.

As principais indicações para a realização de uma transfusão são:

  • Acidentes com picadas de animais peçonhentos como cobras;
  • Atropelamentos;
  • Doenças transmitidas por carrapato;
  • Insuficiência renal;
  • Pancreatite;
  • Intoxicações;
  • Distúrbios de coagulação e hemorragia (nessas situações o sangue não coagula rápido o suficiente, resultando em um sangramento contínuo ou excessivo; ou o contrário também acontece: o sangue pode coagular rápido demais, resultando na formação de coágulos nas veias ou artérias.

BENEFÍCIOS PARA O ANIMAL DOADOR

Depois da doação, as clínicas que realizam a coleta costumam colher amostras para a realização de diversos exames. Isso quer dizer que, além de ajudar outro animalzinho, você ganha um check-up para garantir a saúde do seu pet (não é demais!?).

Os principais exames realizados de graça nos bancos de sangue são:

  • Hemograma completo;
  • Contagem de plaquetas;
  • Ureia e creatinina;
  • Brucelose;
  • Leishmaniose;
  • Dirofilariose;
  • Erliquiose;
  • Babesiose;
  • Doença de Lyme;
  • Febre maculosa;
  • FIV e FeLV (gatos);
  • Mycoplasma haemofelis (gatos).

EXISTEM EFEITOS COLATERAIS?

Não! O seu animalzinho pode sentir um pouco de fraqueza e ficar meio quietinho nas primeiras 24h, mas não há risco. O site Amigo não se Compra, que reúne ONGs e Protetores de todo o Brasil para a divulgação de cães e gatos para adoção, explica que durante o processo de retirada do sangue, o animal é acompanhado e observado de perto. Se houver algum mal-estar o processo é interrompido, mas isso é muito raro!

O processo todo costuma girar em torno de 15 minutos. Nos cães retira-se, em média, 450 ml de sangue. Já nos gatos a doação gira em torno de 20 a 40 ml.

COMO SEU ANIMAL PODE SE TORNAR UM DOADOR?

Ficou interessado em tornar seu pet um doador de sangue? Então a primeira coisa a fazer é procurar um banco de sangue veterinário. Faça contato com o Centro de Zoonoses da sua cidade para saber os pontos de coleta.

Se a área animal te chama a atenção, você pode cursar Medicina Veterinária! Aqui no Grupo Unis tem essa e muitas outras opções para definir sua vida profissional.

É isso aí! A gente tem essas e muitas outras dicas para você. Siga acompanhando nosso blog. Até a próxima!

Assine para receber atualizações no email!

Peças_UNIS_Pub e Prop_Insta_1080x1080px
blog-unis-2019-2

    Posts Recentes