Fisioterapia aquática: outra opção de carreira para fisioterapeutas

Introdução

Hoje existem novas modalidades de atuação para o fisioterapeuta e novos equipamentos que auxiliam nos tratamentos. Enfim, tudo tem melhorado de tempos em tempos na área da saúde.

Se você é uma pessoa que super se interessa por essa carreira, adora ajudar na recuperação das pessoas, e pretende iniciar ou já está se graduando no curso de fisioterapia, esse material foi feito para você! E para descobrir mais sobre esse profissional da saúde, sente-se, pegue aquela xícara de café para relaxar e toque essa leitura! ;)

O curso de fisioterapia

Se você é a pessoa que está naquela fase boa e ao mesmo tempo confusa de decidir o curso que pretende fazer como graduação, foca nesse item. De modo geral, o papel do fisioterapeuta é tratar e prevenir doenças e lesões por meio de técnicas como exercícios e massoterapia (massagem).

O curso tem duração média de 4 anos e, ao se graduar, você estará apto a diagnosticar e tratar problemas ocasionados por alterações genéticas, doenças, acidentes ou má postura. Você também aprenderá a aplicar técnicas e terapias que auxiliam a restaurar, desenvolver e manter a capacidade física e funcional por meio de tratamentos à base de água, calor, frio e aparelhos específicos.

Voltando para a parte teórica da coisa, para se formar em fisioterapia e ter dominância de todos esses aspectos, será necessário ter conhecimento profundo sobre ossos, musculaturas, ligamentos e todos esses pedaços internos do nosso corpo.

Dessa forma, ao ingressar na faculdade você terá contato com matérias como:

  • Anatomia  osteoarticular e muscular;
  • Anatomia sistemas;
  • Fundamentos de células e tecidos;
  • Epidemiologia e saúde pública;
  • Genética humana e molecular;
  • Parasitologia Humana;
  • Farmacologia;
  • Imunologia;
  • Cinesiologia e biomecânica do movimento;
  • Métodos e técnicas de avaliação fisioterapêuticas;
  • Microbiologia;
  • Eletrotermofototerapia;
  • Hidroterapia;
  • Cinesioterapia;
  • Imagenologia;

E muitas outras aulas com focos cada vez mais específicos, como tipos de traumas e suas formas de tratamento corretas, estudos físicos de movimentos corporais, enfim, você vai ser imerso em um mundo cheio de coisas super interessantes e importantes para o seu dia a dia como profissional.

O que observar na universidade antes de ingressar em Fisioterapia?

Como todo curso, você terá partes teóricas e práticas. Mais do que nunca, para sair seguro da faculdade e começar a trabalhar, será mais do que necessário associar e aplicar conhecimentos obtidos em sala de forma prática.

Dessa forma, logo de início busque saber se o curso é autorizado pelo MEC e possui boas notas na avaliação do ENADE, que devem ser 4 ou 5. Ao confirmar essas informações, já pode respirar aliviado! A qualidade do curso nesse local é boa e irá te fornecer um bom conhecimento teórico para sua graduação.

Além disso, observe quem serão os professores, sua atuação no mercado, pós-graduações, mestrados… Afinal, quanto mais esse profissional for preparado para dar as aulas,  melhor para você, não é?

Confirmado que os professores são bem qualificados, comece a observar a estrutura da faculdade, como salas com equipamento multimídia, bem ventiladas, com banheiros e salas limpas, enfim, esses pequenos detalhes que acabam influenciando na hora da aula.

Se até aí a universidade passou no seu teste, está na hora de observar os equipamentos e laboratórios especializados. A universidade possui “labs” de citologia, microbiologia, histologia, embriologia, anatomia, química, de apoio à pesquisa e extensão e de quebra uma boa clínica de fisioterapia, ou ambulatório? Busque entender tim-tim por tim-tim sobre essa parte, pois será crucial para o seu entendimento e aplicação de conhecimentos adquiridos em sala.

Outro fator importante é observar se o curso oferece atividades práticas com a comunidade, trabalhos interdisciplinares, congressos (principalmente os internacionais para se manter ligado com o que acontece no mundo atualmente), se tem parcerias, seguro desemprego para estudantes e ainda, se a própria faculdade possui sinergia com outras universidades ao redor do mundo, oferecendo oportunidade de mobilidade acadêmica durante o curso.

Já pensou que massa se formar e ainda ter tido a oportunidade de estudar em outro país, ter experiências internacionais e sair super antenado sobre a sua profissão?

Ao final de toda essa jornada de pesquisa, se todas ou pelo menos a maioria desses itens forem preenchidos, “toca o bonde” que você está no lugar certo!

Em que áreas o fisioterapeuta pode atuar?

Esse é um curso bastante abrangente e pode oferecer um leque bem diversificado de oportunidades de atuação. Algumas das oportunidades de trabalho hoje são:

1. Acupuntura

Por meio da aplicação de microagulhas associado ao conhecimento milenar chinês sobre os pontos Qi e ao seu aprendizado da graduação, esse profissional consegue tratar traumas, inflamações musculares e dores crônicas.

2. Cardiologia e pneumologia

Nessa área, o profissional poderá cuidar de pacientes em fase pré e/ou pós-operatória, tratar e prevenir doenças respiratórias e cardíacas. Estará apto também a reabilitar doentes por meio de exercícios ligados aos aparelhos respiratório e circulatório.

3. Dermatofuncional

Atuando nesse setor, o fisioterapeuta focará seus esforços em pacientes de pós-cirurgia plástica e pós-cirurgia geral para amenizar desconfortos, reduzir lesões, acelerar a cicatrização de queimaduras e cortes cirúrgicos e realizar tratamentos estéticos.

4. Fisioterapia do trabalho

Ao se focar nessa parte,  o graduado trabalhará na prevenção e tratamento de doenças provenientes do trabalho,  como as lesões causadas por esforço repetitivo (LER). Essa área está altamente ligada à Ergonomia, outra área em que você poderá se especializar.

5. Gameterapia

Essa técnica vem sendo usada a pouco mais de 10 anos, e começou a se disseminar no Canadá. Essa prática da fisioterapia consiste em utilizar jogos e videogames como o Nintendo Wii, para incentivar a atividade cerebral e a recuperação de movimentos para a reabilitação de pacientes com problemas neurológicos e ósseos.

6. Grupos especiais

Quem escolhe essa área para atuar, trabalha em busca se estimular a musculatura de quem sofre de falta ou pouca mobilidade, como idosos e portadores de deficiência física.

7. Neurologia pediátrica

Ao iniciar sua carreira nessa área, o profissional irá trabalhar no seu dia a dia em busca de reabilitar portadores de patologias e síndromes infantis como a paralisia cerebral e a síndrome de Down.

8. Ortopedia e traumatologia

A mais comum de todas as carreiras do fisuiterapeuta trabalha em busca de acelerar a recuperação de mobilidade e reduzir dores de pacientes que sofreram alguma fratura, trauma ou luxação.

9. Terapia intensiva

Nessa profissão, o fisioteraputa tem a função de tratar pacientes internados que não possuem nenhum tipo de movimentação corporal, aplicando técnicas para reabilitação respiratória, neurológica e do aparelho musculoesquelético.

10. Hidroterapia ou Hidrocinesioterapia

Por meio dos efeitos fisiológicos e cinesiológicos baseado nos princípios físicos da água, esse profissional irá trabalhar em função de buscar a melhora de dor e espasmos musculares, suprimento sanguíneo, equilíbrio, coordenação e postura dos pacientes. E para saber mais sobre essa modalidade que é só sucesso, pule para o próximo tópico!

Fisioterapia aquática, uma modalidade de sucesso!

Tenho certeza que quando falamos em fisioterapia aquática, a palavra hidroginástica veio direto na sua mente! Essa confusão é normal de acontecer, e para já evitarmos de cara esse problema, ja vamos explicar as diferenças entre elas, ok?

Logo de cara, já se nota uma diferença. Enquanto a hidroginástica é ofertada por educadores físicos e tem por objetivo melhorar o condicionamento físico e perda de peso, com exercícios mais pesados utilizando a resistência da água.

A hidroterapia ou fisioterapia aquática por sua vez, só pode ser oferecida por um fisioterapeuta e tem o objetivo de tratar lesões. Sendo assim, os exercícios são focado somente na área afetada e normalmente são bem mais leves. Alguns deles nem permitem que o paciente encoste os pés no fundo da piscina e fique o tempo todo em “modo de flutuação”.

Diferenciação feita, bora falar mais sobre essa carreira super bacana e diferenciada da fisioterapia e que chegou ao Brasil em 2007.

Como você pôde notar, boa parte das áreas de atuação para um profissional formado nesse curso é toda voltada para aplicação em macas, com aparelhagem eletrônica… E se você é uma pessoa apaixonada pela água, essa é a profissão dos sonhos.

Sendo fisioterapeuta aquático, você poderá tratar um paciente por horário, aplicar técnicas para regiões específicas de lesão, trabalhar com crianças a partir dos 4 meses de vida  sem contra indicação para essa prática em nenhuma idade subsequente, ter contato com pacientes de todos os tipos: adultos, idosos, crianças, portadores de deficiências, enfim, é um grande oportunidade de crescimento profissional e pessoal.

E como acontece o tratamento com a fisioterapia aquática?

O fisioterapeuta trabalhará com uma série de exercícios terapêuticos suaves realizados em uma piscina aquecida com temperatura girando em torno de 34°C, o que proporciona conforto e melhora os movimentos.

Os exercícios utilizando a resistência da água vão evoluindo junto com o paciente, garantindo segurança, fortalecimento dos músculos e melhora na estabilidade. A água aquecida também tem um porquê. O calor aumenta a circulação, dessa forma os espasmos musculares são reduzidos e há alívio da dor.

Dica importante: Não é necessário saber nadar para realizar a hidroterapia, basta não ter medo da água, além do mais, as piscinas normalmente “dão pé” para o paciente, não havendo risco de afogamento.

Esse tipo de tratamento normalmente é indicado para os seguintes tipos de patologia:

  • Problemas cervicais;
  • Lombares;
  • Bursites;
  • Artrose;
  • Em recuperação de AVC;
  • No auxílio do tratamento de Parkinson;
  • Hérnia de disco;
  • Paralisia cerebral;
  • Fraturas;
  • Osteoporose;
  • Luxações

Quais são os principais métodos utilizados na prática da Fisioterapia Aquática?

Existem outras formas de aplicação do tratamento, porém as principais e mais utilizadas são as seguintes:

1. Método Halliwick

De natureza recreativa, destaca a independência para nadar aos portadores de necessidades especiais por meio de suas habilidades da água e não de suas dificuldades em solo.

2. Método dos Anéis de Bad Ragaz

Um método no qual o paciente é apoiado por flutuadores na região do pescoço, tronco e extremidades e tem como objetivo oferecer relaxamento, estabilização e exercícios resistivos progressivos por meio da flutuação, turbulência, pressão hidrostática, tensão superficial e capacidade térmica.

3. Método Watsu

Esse formato utiliza de movimentos sequenciais e contínuos que se iniciam e terminam na parede da piscina, considerada como referência ao paciente.  É um método que promove bem-estar ao paciente devido às alterações emocionais e mentais que ocorrem por meio de movimentos corporais.

Quanto ganha um hidroterapeuta?

Essa é uma área de atuação que ainda é recente no país, porém o CREFITO - Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional já o reconhece e apresenta a atividade em sua tabela de preços.

O coeficiente de honorário do fisioterapeuta para atuar na área de hidroterapia em 2018 está no valor de R$41,60 para aulas em grupo e R$78,00 para aulas individuais, que podem variar entre 10 e 120 minutos por sessão, de acordo com a intensidade da lesão.

Numa soma básica, se levarmos em consideração 8h diárias de trabalho, com pacientes individuais em sessões de 30 minutos, trabalhando 20 dias por mês, é possível que esse profissional arrecade até 25 mil reais por mês!!!

Não te falei que era sucesso? rsrs mas lembre-se, para se dedicar a área é muito importante que você busque uma pós-graduação e esteja sempre atualizado com as melhores práticas do mercado mundial atual. Se tratando de reabilitação humana, cada detalhe conta.

A dedicação é o segredo de tudo!

Para seguir a carreira de fisioterapeuta é inegável que você precisa gostar de trabalhar com pessoas, ser paciente e empático, porém um dos principais temperos para se ter sucesso, além dessas 3 características, é ser 100% dedicado em buscar cada vez mais conhecimento e em oferecer o seu melhor para cada paciente.

Tratar de vidas humanas é uma tarefa importante, difícil e de multa responsabilidade, mas com amor à sua profissão e os cuidados necessários, tenho certeza de que nada poderá te segurar.

Esperamos que esse material tenha te ajudado a olhar com bons olhos essa carreira recente, e tenha dado o empurrãozinho final para realizar sua matrícula e iniciar o seu curso com maestria!

Qualquer dúvida, não hesite em nos contatar pelo box de comentários.

Até a próxima!

Assine para receber atualizações no email!

Peças_UNIS_Pub e Prop_Insta_1080x1080px
blog-unis-2019-2

    Posts Recentes