Introdução

Nos dias de hoje, é bem visível como a tecnologia tem influenciado em diversos setores da nossa vida. Metalúrgicas, companhias aéreas e até as coisas mais simples do dia a dia, como realizar um pedido num restaurante já podem ser feitas de forma remota, via aplicativo, por exemplo. E com a agricultura não podia ser diferente!

Sempre que falamos em introduzir máquinas ou em mecanizar processos, os mais leigos pensam logo no pior: demissões. Porém, se olharmos de outra forma, será possível observar que essa atualização vem trazer, maiores e melhores oportunidades de aprender e sair na frente.

E é sobre isso que vamos conversar nesse material, que explica como o maquinário pode ajudar no setor primário da economia brasileira, tanto nas grandes propriedades quanto nos cultivos familiares, de forma que se consiga fazer mais em menos tempo, mantendo a qualidade e gerando oportunidade!

E a minha mão de obra?

Tudo o que é novo dá um pouco de medo no começo e isso é bem normal. Ao falar em introdução de maquinários numa plantação, o Engenheiro Agrônomo pode sentir um pouco de rejeição da ideia por parte da equipe braçal.

Não é segredo para ninguém que máquinas conseguem substituir grande parte da mão de obra humana. Mas é importante enxergar que esse não é o fim da linha para os trabalhadores rurais e sim um novo horizonte com novas oportunidades, onde se ganha mais e se sacrifica menos.

E como ganhar mais dessa forma? Qualificação, e ainda nem estamos falando em uma graduação presencial na área agronômica ou mesmo a distância, que tem sido uma boa para aqueles que moram longe de polos universitários.

Pessoas que sabem trabalhar com o maquinário associam esse conhecimento ao já adquirido nos anos de experiência em contato direto com a terra, acabam passando na frente e conseguindo atingir esse objetivo!

Além disso, o maquinário não supre 100% das necessidades de uma linha de produção. Dessa forma, a mão de obra agrícola continua sendo absorvida pelo mercado, porém, de uma forma melhor selecionada, onde os melhores profissionais permanecem, garantindo a qualidade e agilidade durante todo o processo produtivo.

Porque introduzir o uso de máquinas no meu plantio?

Primeiro, vamos contextualizar! A necessidade de introduzir máquinas no setor agrícola começou lá na Revolução Industrial, que surgiu na Europa por volta de 1720 e depois veio se alastrando pelos outros continentes.
Devido a toda situação que acontecia na Europa e ao aumento populacional estrondoso, eles precisavam de cada vez mais comida. Foi aí que as máquinas “entraram na jogada”, ajudando a economizar nos insumos, agilizar a produção e consequentemente atingir o objetivo final: oferecer mais comida, com melhor qualidade e em um tempo reduzido.

Agora que você compreendeu de onde isso tudo surgiu, já deu para entender como essas máquinas podem ajudar no plantio, seja ele de uma grande indústria alimentícia, de um pequeno produtor familiar ou um cooperado.

Ao introduzir as máquinas adequadas ao seu tipo de plantação, você não só consegue produzir mais alimento, como também passa a gastar menos com matéria-prima reduzindo o tempo de trabalho e mão de obra.

Sim, o investimento é um pouco alto, mas é necessário colocar na balança o retorno financeiro. Possivelmente ele passa a ser maior por entregar mais em menos tempo, além do valor que você economiza por não perder produtos não colhidos e não desperdiçar sementes.

E não para por aí! Com a redução de gastos, o seu produto passa a ter valor de produção menor, você passa a ganhar mais dinheiro e a vender com preços mais competitivos. Essa mudança impacta lá no bolso do consumidor, que começa a comprar mais, a gerar mais demanda e girar a economia. Viu só quanta coisa?!

Maquinários básicos para toda plantação

O que vamos falar aqui não é uma receita de bolo, ok? Até porque, plantações diferentes exigem cuidados e maquinários variados, que se associam às necessidades de cada um desses produtos.

Mesmo tendo isso em mente, vamos colocar aqui alguns itens básicos, presentes na maioria das plantações, para que você confira se já tem tudo ou se ainda precisa investir mais um pouquinho para melhorar o desempenho da cultura praticada.

Trator

Esse equipamento é o “basicão” que você precisa ter. Ele poderá te ajudar não somente a carregar equipamentos mais pesados, mas com os acessórios corretos, vai te permitir amassar torrões de terra, nivelar e a arar a terra. Enfim, será um parceiro para muita coisa na lavoura.

É importante lembrar que antes de comprar um trator, é necessário ter um conhecimento amplo sobre alguns detalhes da plantação, para comprar um equipamento no tamanho certo e não perder investimento. Para saber mais dicas para comprar o seu trator de forma correta, é só clicar aqui!

Plantadeira

Ela é um dos equipamentos mais importantes para que se consiga uma plantação eficiente e uma boa colheita futuramente. Mas para que isso ocorra é necessário regular esse maquinário antes de iniciar o processo de plantio, de forma que ela espace e libere as sementes na distância correta.

A plantadeira inicia o processo adubando o solo e abrindo os sulcos. Em seguida, deixará as sementes no espaçamento correto, para que uma não prejudique o crescimento da outra. Para finalizar, uma parte da máquina vem jogando a terra e outra vem cultivando.

Pulverizador

Após o início do crescimento das plantas, o pulverizador se torna parte importantíssima para o sucesso de sua colheita. Afinal, será ela que irá prevenir seu plantio de doenças, germes, insetos e pragas e permitir um crescimento sadio.

Após sua regulagem, esse equipamento distribui corretamente em pequenas partículas o inseticida selecionado e adequado ao seu tipo de cultivo, dando proteção à lavoura e assegurando sua produtividade.

É importante ressaltar que todo produto utilizado deve ser selecionado com muito cuidado e disseminado sem exageros, para não comprometer a produtividade de suas terras, nem contaminar os alimentos produzidos.

Colheitadeira

Essa é uma máquina um pouco mais específica. Ela apresenta formatos diferentes, adaptados ao tipo de cultura ao qual será utilizado. Dessa forma, nem pense em investir nesse maquinário antes de decidir o tipo de plantação de suas terras.

A colheitadeira tem o intuito auxiliar e proporcionar o máximo de produtividade e capacidade na colheita.

Quanto em média preciso investir inicialmente?

Se você vai iniciar devagar e pretende comprar uma coisa de cada vez, recomendamos primeiramente investir em um trator e em alguns “acessórios” para ele, como o arado e a prancha niveladora.

Existem várias marcas, diferentes preços e prazos, mas ao investir nesse equipamento básico novo, você precisará desembolsar uma média de R$120.000,00 (cento e vinte mil reais).

Agora, se você quer investir pesado, e já começar comprando trator, plantadeira, pulverizador e colheitadeira, tudo novinho, vai girar em torno de R$1.000.000,00 (um milhão de reais).

Se você olhar esse valor todo, de cara dá até um arrepio na espinha. Mas pode ficar calmo, hoje existem muitas empresas e instituições focadas em financiamentos para esse tipo de aquisição com juros baixos. Então se o seu sonho for automatizar toda a sua plantação, pode ficar tranquilo porque tem jeito, mesmo que você tenha um capital limitado.

Custo x benefício dessas adaptações

Sempre existe a opção de manter o trabalho manual e não investir em tecnologia, mas é inegável como esses produtos podem ajudar em sua lavoura e tornar sua produção mais eficiente e rentável.

Sabemos que com essa inconstância governamental e com todas as mudanças que podem acontecer repentinamente, fazer um investimento grande como este, pode se tornar um dilema bem grande de se resolver.

A dica é pensar que o setor alimentício não para e que existem hoje muitas opções para se conseguir capital financeiro com parcelas que caibam no seu bolso. Então pense positivo e comece a vislumbrar esse horizonte repleto de sucesso que lhe espera!

E aí, conseguimos te ajudar? Esperamos que sim! Mas se ficou alguma dúvida, não deixe de nos falar nos comentários, ok?

Até a próxima, amigo!