Introdução

Quando estamos no ensino médio não adianta, a gente até tenta fugir do assunto, mas tudo o que é feito durante as aulas têm como maior objetivo te motivar a iniciar a faculdade, e de preferência em uma que esteja entre as melhores do país no curso pretendido.

Esse é um período que, como tudo que é novo na vida, causa um pouco de medo. Claro, será uma rotina nova, com pessoas diferentes e o momento de tomar uma de suas grandes decisões.

Escolher com o que você pretende trabalhar durante toda a sua carreira não é tarefa fácil, principalmente frente a tantos cursos e universidades que temos acesso hoje em dia, mas se você já se decidiu, quer fazer faculdade de psicologia mas ainda não sabe muito bem o que avaliar antes de escolher onde cursar, eu tenho uma ótima notícia, você acabou de chegar ao lugar certo!

Então “bora” continuar a leitura e entender o que você precisa avaliar no curso e na faculdade para fazer a melhor escolha!

O curso de psicologia

Tomar a decisão de iniciar uma faculdade é coisa séria. Sempre pesa aquela frase que diz que estamos escolhendo algo para nossa vida toda. Mas fique tranquilo, não é bem assim que as coisas tem que acontecer. Tem gente que consegue acertar de cara, mas tem também quem precise tentar algo diferente antes de conseguir fazer a melhor escolha.

Uma coisa que facilita muito na hora de se decidir e ser certeiro, é pesquisar sobre o curso, as matérias que provavelmente você irá estudar, campos de atuação e identificar se elas te atraem. E para te ajudar nisso, vamos fazer um resumão sobre esse curso super bacana!

O que se estuda em psicologia?

Como todo curso, você terá partes teóricas, que normalmente pesam mais nos dois ou três primeiros anos, e depois dessa fase de aprofundamento de conteúdos e desenvolvimento de conhecimento profissional, começam as partes práticas com trabalhos desenvolvidos com o apoio do corpo docente universitário. Tudo é incrementado na grade durante os 5 anos de curso.

Nas aulas teóricas, você irá aprender e entender sobre diversas correntes da psicologia, como o estruturalismo, o funcionalismo, behaviorismo, a famosa psicanálise e outras, além de se inteirar sobre várias áreas de atuação como psicologia clínica, social, escolar e organizacional.

As disciplinas obrigatórias e mais comuns nos cursos de psicologia são a neuropsicologia, antropologia, teoria psicanalítica, psicologia do desenvolvimento, história das ideias psicológicas, pessoas com deficiência e psicopatologia. Entre as disciplinas optativas estão matérias como a psicologia do excepcional e problemas de aprendizagem.

Com o que poderei trabalhar ao me formar?

As áreas de atuação para um psicólogo são muitas, e variam desde a orientação e fortalecimento psicológico para atletas  e vão até a trabalhos sociais realizados em penitenciárias.

Para facilitar a visão de carreira, vamos citar algumas aqui embaixo:

  1. Psicologia clínica: trabalho em consultórios com foco em pacientes com inquietações ou problemas emocionais.

  2. Comportamento do consumidor: trabalhar em setores de marketing empresarial, agências de publicidade ou prestadoras de serviço desse ramo, apresentando estudo comportamental de determinado grupo de consumidores a fim de orientar o desenvolvimento de foco para campanhas.

  3. Orientação profissional: realizar o famoso teste vocacional com futuros universitários e auxiliá-los na escolha do curso e da profissão a seguir.

  4. Psicologia esportiva: ajudar a preparar emocionalmente e a maximizar o rendimento de atletas para atividades esportivas e competições.

  5. Psicologia educacional: atuar em creches e escolas ajudando com orientação a  pais, professores e alunos para solucionar problemas de aprendizagem.

  6. Psicologia da saúde: Trabalhar associado a outros profissionais da saúde, como médicos e assistentes sociais auxiliando no fortalecimento de pacientes e seus familiares após algum trauma sofrido.

  7. Psicologia jurídica: Aqui você irá acompanhar desde processos de adoção até a violência contra menores, processos de guarda de filhos e avaliação psicológica de detentos.

  8. Psicologia organizacional e do trabalho: atuar na seleção de funcionários, ajudar no desenvolvimento de ações que promovam relações sociais entre os trabalhadores.

Esses são só alguns dos exemplos de atuação que você poderá trabalhar quando se formar, beleza? Então vamos para o próximo item, que é de suma importância na hora de escolher onde iniciar o seu curso.

O que devo avaliar na instituição de ensino?

Tão importante quanto ter decidido o curso que vai fazer, escolher e conhecer bem o lugar que vai te ajudar a tornar esse sonho uma realidade deve ser prioridade.

Quando chega o momento de se decidir por esse local, existem alguns fatores básicos que devem ser analisados sempre, porém, além deles você deve avaliar também de forma mais específica o curso em si e a estrutura oferecida para ele. Então vamos apresentar em tópicos o que você precisa observar.

1. Autorização do MEC

A primeira coisa que você deve procurar saber é se essa universidade possui autorização do MEC para oferecer esse curso. O MEC é o órgão público responsável por analisar toda a papelada da universidade, definir se o que ela pretende oferecer atende aos requisitos mínimos para que os alunos tenham uma graduação boa e com as condições necessárias para se tornar um bom profissional.

Essa avaliação inclui toda a previsão de recursos a serem investidos no novo curso, quais serão as instalações e infra-estrutura, o tipo de formação que pretende oferecer, como será o processos de avaliação, o plano de capacitação docente, o perfil desejado para os docentes, plano de carreira e regime de trabalho, além de claro, o projeto pedagógico e planejamento do curso.

2. Nota no ENADE

Em segundo lugar, avalie a nota que o curso apresenta no ENADE. É essa nota que irá te informar a qualidade de ensino oferecida pelo curso ofertado naquela instituição. Uma boa nota é um 4 ou um 5, lembrando que as notas são de 1 a 5.

Em cursos novos onde ainda não existem turmas cursando ou formadas, você não conseguirá ter essa informação já que as provas acontecem a cada 2 anos. Mas pode ficar tranquilo quanto a isso, pois o MEC só libera uma graduação quando tem certeza de que o plano de ensino é bom.

Em contrapartida,  para ter essa liberação a universidade precisou batalhar muito. Após todo o investimento necessário para a abertura do determinado curso, ela irá mirar todos os esforços para mostrar a que veio e buscar, com certeza, uma nota alta na avaliação do MEC. Isso irá garantir a permanência dessa graduação na instituição, e incidirá diretamente na qualidade de ensino oferecida. Então pode ir sem medo, ok?

3. Estrutura da universidade

Todo mundo obviamente vai dizer que sua estrutura é a melhor, mas não deixe de conferir se realmente é com seus próprios olhos. Nada mais desconfortável do que estar dentro de uma sala de aula com mais trinta e poucas pessoas, num calor de quarenta graus sem ter ao menos um ventilador decente, não é?

Então se prenda a detalhes nesse momento. Veja se as salas são bem equipadas, com mesas e cadeiras decentes, com dispositivos audiovisuais de qualidade, se os banheiros são limpos, enfim, todas essas particularidades que influenciam no seu bem estar e consequentemente num bom aprendizado.

4. Particularidades da instituição

Algumas faculdades oferecem parcerias que beneficiam você, como descontos em lojas, auto escolas, planos de saúde, seguro de vida, seguro desemprego estudantil e muitas outras coisas que podem facilitar e reduzir custos no seu dia a dia, e acredite, cada centavo fará diferença nessa etapa e um planejamento financeiro para se manter sempre em dia não deve ser descartado! rsrs.

Além desses benefícios, você deve ficar atento aos projetos que a universidade e o curso em si podem te oferecer. Como exemplos, verifique se a universidade oferece possibilidade de intercâmbio estudantil (afinal, experiências internacionais nunca são má ideia para a sua vida pessoal e profissional).

Observe também se o curso e a universidade oferecem projetos interdisciplinares que auxiliem na integração de conteúdos estudados, se apresentam algum facilitador para te ajudar com estágios e também se possuem extensões com aulas práticas em campo. Tudo isso será muito útil e de grande valia quando se graduar.

5. Particularidades do curso de psicologia

É importante nessa etapa analisar o turno em que o curso é oferecido. Antes de se decidir qual horário você pretende estar na faculdade, se pergunte: “na realidade em que me encontro, eu consigo fazer uma graduação integral ou é melhor estudar no turno noturno, continuar trabalhando e buscar um trabalho na área que me proporcione alguma experiência?

O corpo docente também é um quesito importante. Descubra se os professores são bem qualificados e têm experiência no mercado de trabalho. Nessa profissão é imprescindível ter atuado na área para a transmitir os conteúdos, já que grande parte das matérias estudadas pedem partilha de experiências para melhorar o entendimento de cada ação tomada.

Verifique também se a universidade tem opções de direcionamento com ênfase nas áreas que você pretende trabalhar. Esse diferencial poderá te proporcionar a vantagem de se especializar ao passo em que se forma, o que já é meio caminho andado, não é mesmo?

Busque as que apresentam mais opções de ênfase, dessa forma, você pode garantir que conseguirá esse benefício direcionado para o que mais se identificou durante o curso!

Outra coisa bacana, é que algumas faculdades de psicologia apresentam a opção de cursar algumas matérias extras e se graduar com bacharelado e licenciatura, o que volta a crescer o seu leque de opções na hora de trabalhar.

O mundo da faculdade e da psicologia te aguardam!

Agora que você sabe o que deve observar para fazer a melhor escolha e se decidiu pela psicologia, você “tá sem freio” e o universo é o limite! Rsrs

Sendo assim, não meça esforços para garantir que terá o melhor aprendizado e consequentemente se tornará o melhor profissional de quem se tem notícias, beleza? Observe cada pequeno detalhe, vá fundo na sua escolha e não esqueça de se inscrever para o vestibular de psicologia!

Esperamos que esse material tenha aberto a sua mente e te ajudado a enxergar os caminhos que precisava para atingir o objetivo de se graduar. Se ficou alguma dúvida sobre  esse conteúdo ou se não conseguiu encontrar algum assunto que buscou no nosso blog, não esqueça de nos dizer no campo de comentários.

Se curtiu esse material, compartilhe com seus amigos e colegas, pode ser que você ajude alguém que estava com as mesmas dificuldades que você. 😉

Então até a próxima!