INTRODUÇÃO

Os cursos de graduação em Psicologia e Gestão de Recursos Humanos se encontram muitas vezes em abordagens teóricas e práticas muito próximas.

Já abordamos aqui, em outro texto, o auxílio que o curso e as atuações do profissional formado em Psicologia, podem exercer sobre a área de Recursos Humanos, tanto na graduação quanto no mercado de trabalho.

Hoje falaremos sobre como essas duas áreas de graduação se assemelham e se diferenciam, aprofundando inclusive nas atuações conjuntas entre as profissões, e como o mercado de trabalho recebe essa relação próxima entre as áreas.

A CARREIRA EM PSICOLOGIA

O profissional formado em Psicologia busca compreender os indivíduos a fim de solucionar problemas que se relacionam ao comportamento humano. Dessa forma, o psicólogo se capacita a atuar no diagnóstico, prevenção e tratamento de doenças mentais ou emocionais.

Analisando ideias, valores e emoções individuais o psicólogo estuda o comportamento humano, identificando padrões através da observação e interação direta com os pacientes. Essa atuação abrange o trabalho do profissional em áreas diversas da Psicologia, como por exemplo: clínica, esportiva, hospitalar, educacional, jurídica, organizacional, psicomotricidade, orientação profissional, dentre outras.

O profissional formado em Psicologia pode atuar em consultórios, hospitais, clínicas, instituições de saúde, além de escolas, organizações públicas e privadas.

Áreas como a Neurociência, que aborda de forma mais complexa distúrbios neurológicos, como demências, transtornos de aprendizagem e dislexia, têm sido uma das grandes procuras pela atuação na Psicologia. Assim como a Psicologia Organizacional e do Trabalho, onde o profissional participa de processos de seleção de funcionários, orienta sobre carreiras e promove relações saudáveis no ambiente de trabalho

A CARREIRA EM RECURSOS HUMANOS

O setor responsável pela Gestão de Pessoas, a área de Recursos Humanos, trabalha com um conjunto de técnicas e práticas realizadas pelos profissionais que atuam com a finalidade de gerir comportamentos internos e potencializar o capital humano dentro de uma empresa.

Com o passar do tempo as empresas têm identificado cada vez mais, através do trabalho desempenhado pelo RH, a importância do talento humano, capaz de erguer ou derrubar uma organização. Sendo assim, os investimentos no bem-estar dos colaboradores, buscando obter a maior produtividade e lucratividade possível, têm sido uma tendência na área.

 Muito além de apenas contratar ou demitir colaboradores, a área de RH se tornou responsável por melhorias consideráveis dentro das instituições.

Em sua atuação o profissional de RH tem o papel ligado à construção do relacionamento entre empresa e colaboradores, prezando pela implantação de ambientes que incentivem a criação e produtividade, criando iniciativas para valorizar, motivar e manter os talentos de uma empresa. É ele quem deve melhorar os resultados da empresa com base nas pessoas, alinhando as políticas de Recursos Humanos com a estratégia da organização.

Com a valorização das pessoas no ambiente de trabalho, o setor de RH passou a ter atribuições estratégicas, buscando contratar os perfis mais compatíveis com a cultura da empresa, acompanhando os talentos de perto através da aplicação de avaliações de desempenho, priorizando o desenvolvimento profissional e a valorização do ambiente de trabalho, objetivando a motivação e o engajamento dos colaboradores.

Em resumo, os profissionais responsáveis pelo setor de RH devem focar em criar políticas de convivência entre funcionários e superiores, transformar o ambiente de trabalho em um lugar prazeroso para todos, prezar pela comunicação interna efetiva e criar iniciativas de valorização dos colaboradores, atuando para que eles estejam sempre engajados e motivados.

QUAIS AS SEMELHANÇAS ENTRE PSICOLOGIA E RECURSOS HUMANOS?

Como podemos perceber até aqui, embora as áreas sejam teoricamente distintas, ambas envolvem o trato com os indivíduos em cenários variados. A princípio, pode parecer que um gestor de RH lida com pessoas em uma empresa e, o psicólogo, apenas no consultório. No entanto, a Psicologia também está presente no espaço organizacional.

O psicólogo é o único profissional capaz de realizar análises psicológicas e oferecer laudos médicos dentro de uma empresa. Além disso, pode ser também o responsável por traçar perfis de colaboradores e equipes de trabalho, se aproximando do trabalho com os Recursos Humanos.

A presença da Psicologia no RH tem se mostrado como uma tendência no pensamento das empresas, que estão cada vez mais atentas à importância presente na aproximação entre as áreas, que tem proporcionado resultados positivos no cotidiano das organizações. Sendo assim, é cada vez mais comum a atuação e presença de psicólogos na Gestão de Recursos Humanos.

Como já falamos aqui, e em outro texto, a Psicologia possui um vasto campo de atuações e abordagens, sendo a Psicologia Organizacional e do Trabalho uma delas. Focada na gestão de RH, é uma das possibilidades para construir uma carreira sólida na área.

Quando trabalhadas juntas, a Psicologia e o RH auxiliam a empresa no processo de melhorar a sua relação com o público interno e, consequentemente, os resultados. Ainda assim, a presença de um psicólogo, por mais importante que seja em um Departamento de RH, não substitui o trabalho do profissional formado no curso de Gestão de Recursos Humanos.

Enquanto o psicólogo foca no comportamento dos colaboradores, nas relações interpessoais, em como elas podem afetar o ambiente de trabalho, além de conduzir processos de seleção de pessoa, treinamento e avaliação de desempenho, o gestor de RH, além da preocupação com o ambiente organizacional, possui atividades operacionais relacionadas à elaboração de planos de carreira e salários da empresa, programas de benefícios, treinamento e capacitação.

O profissional de Recursos Humanos precisa saber identificar problemas pessoais ou coletivos responsáveis por atrapalhar o rendimento de colaboradores, através de técnicas do estudo psicológico que analisa o comportamento humano, bem como suas emoções, ideias e atitudes. Dessa forma, as empresas que buscam melhorar a sua atuação podem investir em seu ambiente interno e contar com ambos os profissionais para desenvolver as estratégias necessárias e alcançar as metas estabelecidas.

ESPECIALIZAÇÕES EM COMUM

Em busca de integrar o trabalho realizado por profissionais de Psicologia e RH dentro de uma empresa, e capacitar ao máximo os colaboradores de uma organização para potencializar o trabalho desempenhado pelo setor de Gestão Estratégica de Pessoas, é importante que o profissional explore mais oportunidades de adquirir conhecimentos voltados à atuação organizacional.

Para isso, ambas as áreas possuem especializações que cruzam teorias e práticas da Psicologia e dos Recursos Humanos, permitindo a atuação em organizações de pequeno, médio e grande porte, em prol da gestão de pessoas.

Além disso, durante a pós-graduação os profissionais são instigados a analisar e refletir sobre os conceitos e políticas relacionadas à área, bem como suas contradições e desafios. São diversas as opções de especialização para os profissionais que atuam com a gestão de pessoas, dentre elas temos: Gestão do Fator Humano, Gestão do Desempenho Organizacional, Sistemas de Trabalho, Gestão por Competência, Técnicas de recrutamento, seleção e treinamento, Planejamento de Carreiras, Psicologia Organizacional, dentre outras.

QUERO TRABALHAR NO SETOR ORGANIZACIONAL

Para ambas as áreas a atuação organizacional é uma realidade, e uma grande oportunidade que tem se mostrado como interesse crescente dentro das instituições.

Para isso, é importante avaliar o perfil de cada futuro profissional e buscar instituições que trabalhem as capacitações necessárias em ambas as áreas, em busca de possibilitar a atuação organizacional tanto na Psicologia quanto na Gestão de Recursos Humanos, lembrando também da importância e credibilidade transmitidas pelas especializações disponíveis nas áreas.

Esperamos que o conteúdo do texto de hoje tenha sido esclarecedor e inspirador para você! Nos vemos na próxima.