Introdução

Tem gente que pensa que eles são sinônimos, que um veio para substituir o outro, mas a verdade é que apesar de serem plataformas de processamento de dados, Business Intelligence (BI) e Big Data não possuem a mesma tarefa dentro de um sistema empresarial.

Não são diferenças muito grandes, mas ao serem aplicadas em algo maior, os resultados obtidos e o tipo de análise feita podem dar bastante diferença e acabar gerando mais ou menos trabalho humano ou profissionais com experiência na área para garantir bom funcionamento.

Se você iniciou ou pretende começar os estudos na área de ciências da computação e de análise e desenvolvimento de sistemas, ou se é um empreendedor em busca de novas soluções que irão tornar o seu negócio mais eficiente, essa leitura vai ser uma mão na roda! Então continue para descobrir mais sobre esses sistemas super utilizados e requisitados nas empresas hoje em dia!

O que é o Big Data?

Num momento tecnológico onde a cada um ano e meio, em média, se gera a mesma quantidade de dados já criados pela humanidade em todos os tempos e que produz volumes imensos de dados provenientes de empresas, pessoas e aparelhos, os cientistas computacionais enxergaram uma oportunidade de mercado.

Antigamente fórmulas matemáticas, técnicas avançadas de probabilidades e estatística eram executadas manualmente. Com os avanços tecnológicos na área da computação, tornou-se possível então passar a realizar todos esses cálculos por meio de softwares.

Então se há essa quantidade absurda de dados sendo disponibilizados de forma espontânea pelas pessoas, por quê não usá-las a nosso favor? Daí surgiu o Big Data. Um  conjunto de recursos, ferramentas e práticas voltadas para o armazenamento e processamento de grandes volumes de dados, de forma mais eficiente e ágil.

A evolução chamada Big Data deu origem ao Big Data Analytics (BDA), que você também já deve ter ouvido falar. Um “braço” dessa tecnologia que trabalha com algoritmos complexos, é capaz de tratar dados agrupando-os (mesmo que possuam origens diferentes), relacioná-los, gerar resultados organizados e torná-los úteis ao encontrar padrões e produzir insights que possam ajudar em uma série de tarefas.

Ou seja, enquanto o Big Data colhe esses quintilhões de informações, o Big Data Analytics torna possível todo o cruzamento dos dados.

E de que forma isso acontece? O Big Data irá reunir dados de sites, posts de redes sociais, relatórios financeiros, ferramentas de CRM, aplicativos para smartphones, registros de IPs, imagens, vídeos, músicas, registros de call center, blogs e vários outros tipos de informações. Em seguida o software de Big Data Analytics irá analisar esses dados estruturados e não estruturados e criar ligações inteligentes entre eles.

Mas fique atento, o BDA não entregará dados concretos e com análises claras, já que ele acaba colhendo informações sem tratamento de fontes relevantes para os temas de interesse da empresa. Dessa forma, ele fará a captação de dados existentes e irá criar relações entre essa informações que muitas vezes podem passar despercebidas. Porém os bons resultados dependerão de um profissional responsável e experiente para realizar a interpretação e geração de estratégias “manualmente” ou de um outro sistema que ajude a exibir de forma mais lógica os resultados.

O que é o Business Intelligence?

A gente já deu a dica lá em cima de que ambos os conceitos estão relacionados com captação e processamento de dados. Mas como isso acontece em BI? Bom, se começarmos trazendo o nome para o português, vai dar pra ter uma noção melhor. Traduzido, o BI significa “Inteligência de Negócio”.

Ai você me fala “ta bom mas me explica melhor esse trem!”, e lá vamos nós! O Business Intelligence faz análises internas do negócio e do mercado ao qual ele está inserido.  Ele ajuda a mostrar de forma mais lógica e estratégica os resultados obtidos por meio de dados estruturados que a empresa possui.

Como assim? O Business Intelligence vai acessar dados contidos em tabelas dinâmicas, de análise de performance ou painéis interativos como os dashboards. As fontes de pesquisa também incluem todos os dados que podem mostrar de forma organizada informações como o desempenho da equipe frente a produtividade, as gestões internas de pessoas, de materiais, e tudo que puder auxiliar no desenvolvimento do negócio e mostrar pontos estratégicos de melhoria.

Em suma, o BI irá coletar, organizar, transformar e disponibilizar dados de forma facilitada e exata, que irão auxiliar na tomada de decisão, além de permitir a análise preditiva de forma rápida e assertiva. Porém, ela depende de outra ferramenta para trazer esses dados estruturados de forma interna.

Onde esses conceitos têm sido aplicados?

Essa é uma questão bastante complexa. Tanto o Big Data quanto o BI tem sido aplicados em empresas dos mais diversos ramos, independente do tamanho. Essas ferramentas se mostram úteis a toda empresa que deseja passar a tomar decisões baseadas em dados sólidos e deixar de fazer escolhas com base em “achometros”.

De qualquer forma, vamos listar aqui embaixo 5 ferramentas que podem ajudar a iniciar a implantação do Big Data e do BI. Mas lembre-se que para o sucesso desse processo de implantação e de colheita de dados, será imprescindível ter um profissional qualificado e com o mínimo de experiência na área, ok?

Ferramentas de Big Data

  1. Cassandra
  2. MongoDB
  3. Panoply
  4. Redis
  5. Striim

Ferramentas de Business Intelligence (BI)

  1. Adobe Analytics
  2. Tableau
  3. IBM Watson Analytics
  4. Microsoft Power BI
  5. Google Data Studio

Trabalho em equipe é sempre bem-vindo!

Agora que você já conseguiu entender o “basicão” sobre essas duas ferramentas super importantes e úteis para as empresas e descobriu as diferenças entre elas, deu pra enxergar com mais clareza como elas podem e devem trabalhar sempre juntas, não é?

Uma complementa o trabalho da outra e o resultado disso é uma leitura de dados eficiente e tomadas de decisão com embasamento forte. Isso com certeza irá alavancar os resultados e possibilitar a você, que já é profissional ou pretende se formar na área, comprovem a eficiência e a necessidade do trabalho que desenvolvem internamente.

Esperamos que esse material tenha sido útil para você e que suas dúvidas tenham sido todas esclarecidas, mas caso queira perguntar mais alguma coisa, é só falar com a gente ali no box de comentários, beleza?

Até a próxima!